Nilson Borges em Diamantina

 

As novas linhas do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene) foram apresentadas às lideranças regionais, entre elas vinte prefeitos do Alto Jequitinhonha, nessa segunda-feira (27), em Diamantina. O novo diretor-geral, Nilson Borges, apresentou projetos estruturantes que sejam capazes de transformar a realidade da população, mas também se comprometeu com a continuidade de ações realizadas pelo instituto nos últimos anos.

 Ao se dirigir aos líderes do Vale, Nilson Borges disse que o novo governo vai trabalhar projetos capazes de fazer a diferença na vida da sociedade. Argumentou que o Idene passa por uma reestruturação e   que o direcionamento do governo Romeu Zema para os municípios e regiões se dará pelo planejamento, organização e coesão, efetividade das ações, atendimento igualitário (sem viés partidário), técnica e pragmatismo, projetos de desenvolvimento efetivo.

Entre alguns dos projetos estruturantes, o diretor-geral citou a duplicação de trecho da BR-251 entre  Montes Claros e Cachoeira do Pajeú, melhoria das demais estradas que passam pela regiões Norte e Nordeste do estado, atração de mais investimentos para energia solar, estimulo à organização da agricultura familiar para facilitar a comercialização.

“O Idene tem o papel de trabalhar o desenvolvimento. Estamos nos aproximando da Sudene. Apresentamos 246 propostas para o Norte de Nordeste do estado, com a presença do governador Zema, em Recife. Em visita a deputados estaduais e federais, eles se comprometeram em colocar emendas parlamentares para a nossa região de abrangência”, ressaltou Nilson Borges.

Outro ponto mostrado às lideranças pelo diretor-geral do Idene está relacionado à necessidade de os municípios se unirem em consórcios para facilitar a celebração de convênios. “Estamos dentro da Secretaria de Desenvolvimento Econômico com o Indi (Agência de Promoção de Investimentos e Comércio Exterior) e a Codemig (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais) ”, revelou Nilson sobre o ambiente propício ao novo momento para o Idene.

Sobre os projetos existentes no instituto, a direção disse que eles continuarão existindo, mas estão passando por uma análise para melhor funcionamento.  No que se refere à reestruturação, o Idene passa a contar com duas diretorias regionais: Norte de Minas e Alto Jequitinhonha e a dos Vales, sendo que o escritório de Diamantina ficará ligado à regional sediada em Montes Claros. A outra regional está sediada em Governador Valadares. Os novos diretores regionais são: Márcia Versiani (Norte e Alto Jequitinhonha) e Marcos Lima (Vales).   

Ao concluir sua apresentação, o diretor-geral abriu espaço para receber sugestões das lideranças. Ouviu prefeitos, entre eles o de Diamantina, Juscelino Roque, vereadores, deputado estadual Marquinho Lemos, representantes da Universidade Federal dos  Vales do  Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG). Todos se colocaram à disposição para unir forças ao desenvolvimento regional.  

 Visita ao projeto da Frutivale 

Direção do Idene visita instalações da Frutivale

 

Na expectativa de conhecer estruturas existentes de desenvolvimento no Vale do Jequitinhonha, o diretor-geral do Idene, Nilson Borges, visitou as instalações da agroindústria Frutivale em Datas, que funcionou de 2004 a 2012, processando frutas de 1.400 produtores de 13 municípios da região. Os recursos para a construção da unidade foram do Ministério de Desenvolvimento Agrário.

Nilson Borges foi a Datas, considerado um dos maiores produtores de morango do Brasil, a convite do deputado estadual Marquinho Lemos. Lá ouviu os técnicos da Emater, prefeito Gonçalo Pereira e produtores.  “Queremos fazer com que as coisas funcionem, aproveitar o que existe estrutura e parcerias como da Emater. Minas está aproximando também da Sudene”, observou.

O gerente regional da Emater, Wagner Almeida, explicou que o projeto passou por dificuldades de gestão, seguidas de autuações diversas e acabou fechando as portas. Nos últimos anos, a estrutura passou por adequações exigidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) com recursos de emenda parlamentar repassada ao Idene. Entretanto, ainda precisa de ajuda para reparos de equipamentos e outras adaptações exigidas pela Vigilância Sanitária.

A intenção das lideranças locais e regionais, assim como dos produtores é conseguir recursos para colocar a fábrica novamente em funcionamento. Há uma expectativa de que a retomada do processamento de frutas traga novas perspectivas para os produtores e a geração de novos empregos na unidade de processamento e no campo.  

 

Mais informações: Assessoria de Comunicação do Idene (31) 3915-5232