ite

“Esta água é uma bênção, serve para beber, cozinhar e lavar. Depois da chegada da cisterna, a nossa vida melhorou muito. Agora, aquele problema que a gente passava com a falta de água não existe mais. Como aqui não chega água da rua, o que temos é a água da cisterna, que usamos para todas as necessidades diárias”, relatou o agricultor Alcebieades Rosa, morador da comunidade São José da Fortuna, no município de Itambacuri, Território Mucuri.

No Dia Mundial da Água, comemorado nesta quarta-feira (22/03), famílias como a do senhor Alcebieades podem comemorar o acesso a tecnologias sociais de abastecimento de água, levadas à população pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor) e seu órgão operacional, o Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), com parte do recurso do Governo Federal.

Mesmo sendo um recurso natural único e fundamental à sobrevivência humana e de todos os seres vivos, no Brasil, nem todas as pessoas têm acesso à água. Em alguns lugares como no Norte e Nordeste de Minas Gerais, uma grande parcela da população ainda sofre com a seca, que se agrava com longos períodos de estiagem. Para diminuir esses problemas e promover uma melhor qualidade de vida, principalmente nas comunidades rurais, o sistema Sedinor/Idene vem intensificando programas e ações que facilitam o acesso à água de famílias que convivem com a seca diariamente.

De acordo com o secretário da Sedinor, Gustavo Xavier, os investimentos são fundamentais para melhorar a qualidade de vida da população. “O Governo de Minas Gerais tem trabalhado intensamente para garantir a efetivação dessas ações. Hoje, milhares de famílias das regiões Norte e Nordeste já podem contar com o apoio de cisternas, barreiros, barraginhas, poços tubulares profundos e sistemas coletivos de abastecimento de água”, disse ao que o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, não têm medido esforços para atender a população dessas localidades.

Os valores das obras já entregues totalizam mais de R$ 268,5 milhões. Só em 2015 e 2016 foram cerca de R$ 68,5 milhões. Já as obras em execução e as previstas para 2017 somam mais R$252,5 milhões. Se somarmos os valores em investimentos, os números são superiores a R$ 521 milhões.

As ações contemplam famílias de baixa renda, que trabalham principalmente com agricultura e dependem da água para manter o sustento de suas casas.

Entenda os investimentos

Obras de captação e armazenamento de água de chuva

Por meio do programa Água para Todos, executado em parceria com o Governo Federal, mais de 45 mil famílias de 119 municípios mineiros receberam obras de captação e armazenamento de água da chuva. Os valores dos investimentos em tecnologias como cisternas de placas e de polietileno para consumo humano e animal, barreiros, barraginhas e sistemas coletivos de abastecimento de água totalizaram quase R$ 180 milhões.

Poços tubulares, tubos e caixa d´água

No Plano de Urgência para Enfrentamento da Seca, outras 24.720 famílias foram atendidas em 115 municípios. Com um investimento de R$ 20,6 milhões, o plano atendeu municípios que decretaram situação de emergência devido à seca e à estiagem, com perfuração e equipagem de 484 poços tubulares profundos, além da entrega de tubos e reservatórios de água para a instalação em parceria com as prefeituras.

Ampliação do sistema de abastecimento de água em Montes Claros

Os recursos totais aprovados por meio do termo de compromisso com o Ministério das Cidades e a Caixa econômica Federal somam R$ 90 milhões. Até o momento foram repassados cerca de R$ 45,6 milhões (valor correspondente a mais de 50% dos recursos da obra), que tem como interveniente executora a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

As obras em Montes Claros, que já estão bastante avançadas, garantirão o abastecimento em toda a cidade e 10 distritos da zona rural 24 horas por dia sem sofrer interrupções. A capacidade de tratamento de água da ETA Verde Grande será quase dobrada, passando dos atuais 600 litros/segundo para 1.156 l/s. Já a do ETA Morrinhos, que será totalmente modernizada, passará dos atuais 250 para 400 l/s. Além disso, um novo reservatório será construído com a capacidade de 11 mil metros cúbicos e mais dois reservatórios nos bairros Ibituruna (capacidade de 200 m3) e Sapucaia (capacidade de 150 m3).

Barragem em Mato Verde

A ampliação da barragem de Mato Verde foi iniciada ao custo de R$ 48 milhões e já recebeu investimentos de R$ 20,7 milhões. A obra tem previsão de ser concluída em dezembro de 2017, por meio de um termo de compromisso firmado entre o Sistema Sedinor/Idene e o Ministério da Integração Nacional, no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). A obra beneficiará cerca de 20 mil pessoas que residem nos municípios de Mato Verde e Catuti.

Ações previstas para 2017

Por meio de convênio entre o Sistema Sedinor/Idene e o Ministério da Integração Nacional, outros R$ 100,9 milhões serão investidos na construção de pequenas barragens. Além disso, está prevista ainda para o primeiro semestre de 2017, a licitação da perfuração e equipagem de 200 poços tubulares profundos, para atendimento de cerca de 4 mil famílias. 

Foto (crédito): Omar Freire

Enviar para impressão