CHL 0621

O secretário de Estado da Sedinor, Gustavo Xavier, participou de reunião nessa quarta-feira (25), no palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, com comitiva de Israel, liderada pelo ministro encarregado de negócios, Itay Tagner, e o assessor econômico, Alex Bekker. O Objetivo da reunião foi apresentar as ações de Minas Gerais e fomentar parcerias que solucione as questões de escassez de recursos hídricos.

Também participaram a presidente do IGAM, Maria de Fátima Chagas; a presidente da Copasa, Sinara Meireles; o assessor de Educação Ambiental e Relação Institucionais da Semad, André Luis Ruas; e o assessor de Relações Internacionais Hugo Salomão.

Na reunião, os assuntos voltados para a escassez hídrica e a gestão das águas no semiárido mineiro ganharam destaque, uma vez que Israel é um país com pouca água e quantidade de chuva que chega a 0 mm por ano e com temperaturas em torno de 42 a 45°C. “Setenta por cento de todo o estado de Israel é deserto, o nosso seminário chove em torno de 0 a 18-20mm por ano. Aprendemos a cultivar em solos precários. Nós realmente não temos escolhas. Temos tecnologias e técnicas para o cultivo em terra, já que não chove”, contou o ministro Itay.

Após a apresentação feita pelo secretário da Sedinor, Gustavo Xavier, que falou sobre as tecnologias adotadas para abastecimento de água nas regiões Norte e Nordeste do estado, o ministro Itay Tagner ressaltou que o governo de Israel, em pesquisas iniciais, já percebeu que Minas Gerais tem um potencial enorme. “Uma coisa que notei é o gerenciamento de crise hídrica adotada pela Sedinor. Podemos, com toda certeza, discutir sobre nossas tecnologias. Tecnologias como estabilização e redistribuição da água e muitas outras. Algumas das tecnologias apresentadas são muito interessantes e com certeza temos muito que aprender com vocês. E não só apenas aprender, mas compartilhar o que sabemos também” destacou Tagner.

Gustavo Xavier falou sobre a possibilidade de um termo de cooperação técnica para o compartilhamento de saberes e tecnologias. “Israel está muito avançado no combate à seca e na gestão de recursos hídricos, devido às condições de escassez de água. Da mesma forma que Minas Gerais está de portas abertas para fornecer as nossas tecnologias, também temos muito interesse de conhecer as formas com que Israel lida com a falta d’água”, salientou.

Ainda na reunião, a presidente da Copasa, Sinara Meireles, apresentou sobre a gestão e o controle do fornecimento de água tratada em Minas Gerais, o gerenciamento de concessões, além de detalhar sobre o funcionamento da Copasa Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Copanor), criada com o objetivo de atender aos municípios com menores IDHs e que mais sofrem com a escassez de água.

Já a presidente do IGAM, Maria de Fátima Chagas, falou sobre a gestão das águas, que envolve as principais bacias hidrográficas do estado, pontuando os desafios para manutenção e preservação dos mananciais.

A Semad falou sobre educação ambiental e educação para o consumo responsável. André Luis Ruas apresentou o programa Ambientação, que promove a educação ambiental em prédios públicos, além das ações voltadas para o controle da fauna e da flora em Minas Gerais.

 

Novas agendas

 

Para dar continuidade à troca de experiências, o ministro Itay Tagner propôs trazer a Minas Gerais, no mês de março, um especialista em controle e planejamento do uso da água. Nos meses de maio e junho, ele pretende enviar ao estado outro especialista da Companhia de Água de Israel, com experiência na área de desenvolvimento e resolução dos problemas. Ele também convidou representantes do Governo de Minas Gerais para participarem, no mês de setembro, do Congresso Internacional de Água, o Watec, que será realizado em Israel e vai discutir tecnologia da água e controle ambiental.