Para garantir novos investimentos que promovam a melhoria da qualidade de vida da população, o Governo de Minas Gerais está trabalhando na busca de parcerias que possam fomentar a política do desenvolvimento territorial. Nesta quarta- feira (21), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais – Sedinor, e sua autarquia, o Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais – Idene reuniram representantes do Banco do Nordeste e de vários órgãos do Estado com o objetivo de identificar diretrizes comuns e ações convergentes para a captação do máximo de recursos que são disponibilizados pela instituição financeira.

Na reunião foi apresentada a atuação do Banco nas regiões Norte e Noroeste de Minas e Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Presente em Minas Gerais há mais de seis décadas, o BNB possui forte atuação em todos os setores econômicos e em todos os segmentos do setor produtivo. De forma complementar, fomenta a política de desenvolvimento territorial, mediante apoio e financiamento às pesquisas aplicadas, além de estímulo à estruturação de cadeias produtivas e adesão às políticas públicas estaduais.

O superintendente do Banco do Nordeste, João Nilton Castro, falou sobre a possibilidade de a instituição firmar compromissos com cada órgão. “Atendemos os setores comercial, rural, industrial, de serviços e infraestrutura. Nosso desafio é integrar projetos e pensar nos 168 municípios de Minas Gerais que fazem parte da área de abrangência do Banco” disse Castro.

  O diretor de Captação, Qualificação e Inclusão Regional do Idene, Davidson Barbosa, afirmou que a reunião é importante também para dar celeridade aos trabalhos. “Onde houver dificuldade, a gente faz um esforço concentrado para resolver os problemas”, disse ao lembrar que a Diretoria de Captação tem como o principal foco a busca de empreendimentos e arranjos produtivos para a região. Ele ressaltou que os principais atrativos são os incentivos da SUDENE e as linhas de financiamento do BNB, que agregados às políticas de atração de investimentos do estado e dos municípios, darão a competitividade na concorrência com os estados do Sul e Sudeste e do Nordeste, em função da localização estratégica da região.

Fernando Passalio, superintendente da Secretaria Geral do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Fopemimpe), se disponibilizou em fazer um trabalho em parceria com o Banco do Nordeste direcionado para os Arranjos Produtivos Locais (APL’s). A proposta é que a iniciativa tenha o apoio do Governo de Minas, podendo possibilitar a oferta de linhas de crédito para os APL’s.

Conforme a legislação mineira, os APLs são identificados pela concentração espacial de empresas de um determinado setor da atividade produtiva, que se caracteriza principalmente pela intensidade das relações comerciais e de cooperação intra-aglomeração, com o ambiente institucional voltado para dar suporte ao seu desenvolvimento.

A presidente da Copasa, Sinara Meireles, disse que a Companhia tem o interesse em aprofundar as discussões com o Banco, pensando na área de infraestrutura e nos projetos voltados para o abastecimento de água.

O diretor-geral do Idene, Ricardo Campos, finalizou a reunião sugerindo a criação de um Comitê Operacional. Para isso, cada órgão participante deverá escolher um membro para esse comitê. O grupo posteriormente vai se reunir com o Banco do Nordeste a fim de apresentar o que é viável para a região e analisar o que pode ser fomentado pelo Banco.

No encontro também estavam presentes o secretário de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Gustavo Xavier, e representantes da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Secretaria Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Sedif), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater- MG) e da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).